Arquivo para setembro 2010

A Ordem das Cabeças Pensantes   Leave a comment

Cabeças Pensantes atentem e vigiem   Revelações

 

Modelo econômico de Cuba não funciona mais, diz Fidel

 

                                               Fidel Castro

   —Pois é.           “Pode-se enganar alguns, todo tempo.

                Pode-se enganar todos, algum tempo.

                Mas não se pode enganar todos, todo tempo.”

–Mais, muito mais, eternamente-

.

Anúncios

Publicado setembro 8, 2010 por heitordacosta em Os Criminosos

Talking about YouTube – Gregorians – The Sound of Silince   Leave a comment

     

                 A Ordem das Cabeças Pensantes

   Cabeças Pensantes atentem e vigiem 

 

YouTube – Gregorians – The Sound of Silince
 

Publicado setembro 8, 2010 por heitordacosta em Reflexão

A Ordem das Cabeças Pensantes   Leave a comment

Cabeças Pensantes atentem e vigiem É Preciso ficar sempre alerta

Recebi de uma Cabeça Pensante de Brasília, Senhor Yolando Castro que ultimamente tem me brindado com valiosos emails, essa informação que nos, <A Ordem das Cabeças Pensantes>, consideramos uma denúncia de mais uma tentativa através de um método anarquista, visando à implantação de um sistema comunizante em nossa sociedade.

 

PARA AQUELES QUE NÃO SE INTERESSAM POR POLÍTICA É QUE SERÃO GOVERNADOS PELOS QUE SE INTERESSAM" . (Arnold Toynbee)

REVOLUÇÃO SILENCIOSA
*Diego Casagrande, jornalista – Porto Alegre/RS*
Não espere tanques, fuzis e estado de sítio.
Não espere campos de concentração e emissoras de rádio, tevês e as redações ocupadas pelos agentes da supressão das liberdades.
Não espere tanques nas ruas.
Não espere os oficiais do regime com uniformes verdes e estrelinha vermelha circulando nas cidades.
Não espere nada diferente do que estamos vendo há pelo menos duas décadas.
Não espere porque você não vai encontrar, ao menos por enquanto. A revolução comunista no Brasil já começou e não tem a face historicamente conhecida..
Ela é bem diferente.
É hoje silenciosa e sorrateira. Sua meta é o subdesenvolvimento.
Sua meta é que não possamos decolar.
Age na degradação dos princípios e do pensar das pessoas.
Corrói a valoração do trabalho honesto, da pesquisa e da ordem. Para seus líderes, sociedade onde é preciso ser ordeiro não é democrática.
Para seus pregadores, país onde há mais deveres do que direitos não serve.
Tem que ser o contrário para que mais parasitas se nutram do Estado e de suas indenizações. Essa revolução impede as pessoas de sonharem com uma vida econômica melhor, porque quem cresce na vida, quem começa a ter mais, deixa de ser "humano" e passa a ser um capitalista safado e explorador dos outros. Ter é incompatível com o ser. Esse é o princípio que estamos presenciando.
Todos têm de acreditar nesses valores deturpados que só impedem a evolução das pessoas e, por conseqüência, o despertar de um país e de um povo que deveriam estar lá na frente. Vai ser triste ver o uso político-ideológico que as escolas brasileiras farão das disciplinas de filosofia e sociologia, tornadas obrigatórias no ensino médio a partir do ano que vem. A decisão é do ministério da Educação, onde não são poucos os adoradores do regime cubano mantidos com dinheiro público. Quando a norma entrar em vigor, será uma farra para aqueles que sonham com uma sociedade cada vez menos livre, mais estatizada e onde o moderno é circular com a camiseta de um idiota totalitário como Che Guevara. A constatação que faço é simples. Hoje, mesmo sem essa malfadada determinação governamental – que é óbvio faz parte da revolução silenciosa – as crianças brasileiras já sofrem um bombardeio ideológico diário.
Elas vêm sendo submetidas ao lixo pedagógico do socialismo, do mofo, do atraso, que vê no coletivismo econômico a saída para todos os males. E pouco importa que este modelo não tenha produzido uma única nação onde suas práticas melhoraram a vida da maioria da população. Ao contrário, ele sempre descamba para o genocídio ou a pobreza absoluta para quase todos. No Brasil, são as escolas os principais agentes do serviço sujo. São elas as donas da lavagem cerebral da revolução silenciosa. Há exceções, é claro, que se perdem na bruma dos simpatizantes vermelhos. Perdi a conta de quantas vezes já denunciei nos espaços que ocupo no rádio, tevê e internet, escolas caras de Porto Alegre recebendo freis betos e mantendo professores que ensinam às cabecinhas em formação que o bandido não é o que invade e destrói a produção, e sim o invadido, um facínora que "tem" e é "dono" de algo, enquanto outros nada têm. Como se houvesse relação de causa e efeito. Recebi de Bagé, interior do Rio Grande do Sul, o livro "Geografia", obrigatório na 5ª série do primeiro grau no Colégio Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora. Os autores são Antonio Aparecido e Hugo Montenegro. O Auxiliadora é uma escola tradicional na região, que fica em frente à praça central da cidade e onde muita gente boa se esforça para manter os filhos buscando uma educação de qualidade.
Através desse livro, as crianças aprendem que propriedades grandes são de "alguns" e que assentamentos e pequenas propriedades familiares "são de todos". Aprendem que "trabalhar livre, sem patrão" é "benefício de toda a comunidade". Aprendem que assentamentos são "uma forma de organização mais solidária… do que nas grandes propriedades rurais". E também aprendem a ler um enorme texto de… adivinhe quem? João Pedro Stédile, o líder do criminoso MST que há pouco tempo sugeriu o assassinato dos produtores rurais brasileiros. O mesmo líder que incentiva a invasão, destruição e o roubo do que aos outros pertence. Ele relata como funciona o movimento e se embriaga em palavras ao descrever que "meninos e meninas, a nova geração de assentados… formam filas na frente da escola, cantam o hino do Movimento dos Sem-Terra e assistem ao hasteamento da bandeira do MST". Essa é A revolução silenciosa a que me refiro, que faz um texto lixo dentro de um livro lixo parar na mesa de crianças, cujas consciências em formação deveriam ser respeitadas.
Nada mais totalitário. Nada mais antidemocrático.

Serviria direitinho em uma escola de inspiração nazi-fascista.

Tristes são as conseqüências. Um grupo de pais está indignado com a escola, mas não consegue se organizar minimamente para protestar e tirar essa porcaria travestida de livro didático do currículo do colégio. Alguns até reclamam, mas muitos que se tocaram da podridão travestida de ensino têm vergonha de serem vistos como diferentes. Eles não são minoria, eles não estão errados, mas sentem-se assim. A revolução silenciosa avança e o guarda de quarteirão é o medo do que possam pensar deles.
O antídoto para A revolução silenciosa? Botar a boca no trombone, alertar, denunciar, fazer pensar, incomodar os agentes da Stazi silenciosa. Não há silêncio que resista ao barulho.

"EM OUTUBRO LEMBRE-SE: URNA NÃO É LIXEIRA" – "VOTO NÃO TEM PREÇO, TEM CONSEQÜÊNCIA".

—Mais,muito mais, eternamente-.

Publicado setembro 6, 2010 por heitordacosta em IMPUNIDADE

A Ordem das Cabeças Pensantes   Leave a comment

 

Cabeças Pensantes atentem e vigiem

Tendo retornado horas antes de uma conversa com as tropas em Forte Bliss, Texas – as tropas que tinham visto todas as fases que se tornou uma das mais longas guerras da América – o Presidente falou à nação por apenas segundo tempo do Salão Oval para anunciar o fim do combate papel da América na guerra.

Americanos na escola hoje pode apenas lembrar-se de um tempo quando a América não estava em combate no Iraque, jovens e adultos – incluindo muitos dos nossos soldados que se sacrificaram tanto – quase por definição, se foi toda a sua vida adulta em um país dividido em relação à guerra. Hoje, como o presidente colocou, era um dia para começar a "virar a página" – um dia em que a América poderia girar seu foco para a construção de si mesmo para trás a partir de uma recessão devastadora.

Durante todo esse tempo, porém, como o Presidente salientou, "tem havido uma constante mudança entre as marés":

Em cada turno, os homens da América e mulheres de uniforme que serviram com coragem e determinação. Como comandante-em-chefe, eu sou incrivelmente orgulhoso de seu serviço. E como todos os americanos, estão impressionados com o seu sacrifício, e os sacrifícios de suas famílias.

Os norte-americanos que serviram no Iraque completaram todas as missões que foram dadas. Eles derrotaram um regime que aterrorizou seu povo. Juntamente com os iraquianos e os parceiros da coalizão, que fizeram grandes sacrifícios as nossas tropas lutaram em bloco por bloco para ajudar o Iraque a aproveitar a chance para um futuro melhor. Eles mudaram de tática para proteger o povo iraquiano, treinando forças de segurança iraquianas, e tirou os líderes terroristas. Devido a nossas tropas e civis – e por causa da resistência do povo iraquiano – Iraque tem a oportunidade de abraçar um novo destino, apesar de muitos desafios que permanecem.

Portanto, esta noite, estou anunciando que a missão de combate americanas no Iraque acabou. Operação Iraqi Freedom é longo, e o povo iraquiano tem agora a responsabilidade principal pela segurança de seu país. Tendo levantado 100.000 soldados desde que tomou posse, uma força muito menor vai ficar para treinar e ajudar as forças iraquianas durante o período de transição. O presidente foi ambivalente sobre o que aconteceria depois daquele tempo: "todas as tropas E.U. sairão até o final do próximo ano”.

O Presidente mencionou que o vice-presidente Biden está no Iraque agora, depois de passar o dia de reunião com os líderes iraquianos sobre como trabalhar com a equipe diplomática dos EUA daqui para frente.

clip_image001[4]

O vice-presidente Joe Biden se encontra com Ayad Allawi em casa o vice-premiê iraquiano Issawi em Bagdá, no Iraque 31 de agosto de 2010. (Por David Lienemann)

Como uma guerra ventos para baixo, o presidente falou diretamente a perguntas sobre a guerra no Afeganistão, que continua:

Os americanos em todo o espectro político apoiou o uso da força contra aqueles que nos atacaram-nos 11 / 9. Agora, como nos aproximamos dos 10 º ano de combate no Afeganistão, há aqueles que são, compreensivelmente, a fazer perguntas difíceis sobre a nossa missão lá. Mas devemos nunca perder de vista o que está em jogo. Enquanto falamos, a Al Qaeda continua a conspirar contra nós, e sua liderança permanece ancorada nas regiões fronteiriças do Afeganistão e do Paquistão. Vamos romper desmantelar e derrotar a Al Qaeda, evitando o Afeganistão de novo ao serviço como uma base para terroristas. E por causa do nosso rebaixamento no Iraque, estamos agora em condições de aplicar os recursos necessários para continuar a ofensa. Na verdade, nos últimos 19 meses, quase uma dúzia de líderes da Al Qaeda – e centenas de Al Qaeda aliados extremistas – foram mortos ou capturados em todo o mundo.

Também aqui, porém, o presidente deixou claro que as lições do Iraque não foram perdidas: "E em agosto próximo, vamos começar uma transição para a responsabilidade do Afeganistão. O ritmo de redução das nossas tropas será determinado pelas condições no terreno, e o nosso apoio para o Afeganistão vai resistir. Mas não se enganem: Esta transição vai começar – porque a guerra aberta não serve nem os nossos interesses nem o povo afegão.”

clip_image002[4]

uma das razões mais importantes que se opuseram à guerra no Iraque desde o início, e um dos benefícios mais importantes do levantamento – a capacidade para a América para reorientar os seus recursos energéticos e sobre os desafios em casa, inclusive tomando cuidado dos nossos veteranos:

Infelizmente, na última década, nós não fizemos o que é necessário para fortalecer os alicerces da nossa própria prosperidade. Gastamos um trilhão de dólares em guerra, muitas vezes financiados por empréstimos do exterior. Este, por sua vez, tem investimentos de curto prazo mudou em nosso próprio povo, e contribuiu para os déficits recorde. Por muito tempo, temos que adiar decisões difíceis sobre tudo a partir de nossa base manufatureira para a nossa política energética, a reforma da educação. Como resultado, muitas famílias de classe média encontram-se trabalhando mais por menos, enquanto a competitividade em longo prazo de nossa nação é posta em risco.

E assim, neste momento, vez que estamos encerrando a guerra no Iraque, temos de enfrentar esses desafios em casa com tanta energia e coragem, e senso de propósito comum, tal como os nossos homens e mulheres de uniforme que serviram no exterior. Eles se reuniram todos os testes que eles enfrentaram. Agora é nossa vez. Agora, é nossa responsabilidade de honrá-los por virmos juntos, todos nós, e trabalhar para garantir o sonho que tantas gerações lutaram – o sonho de uma vida melhor espera quem está disposto a trabalhar para ele e para ele chegar.

Nossa tarefa mais urgente é restaurar a nossa economia, e colocar os milhões de americanos que perderam os seus empregos de volta ao trabalho. Para reforçar a nossa classe média, temos de dar todos os nossos filhos a educação que eles merecem, e todos os nossos trabalhadores as habilidades que eles necessidade de competir em uma economia global. Precisamos alavancar as indústrias que geram empregos e acabar com nossa dependência do petróleo estrangeiro. Devemos desencadear a inovação que permite que os produtos novos a sair das nossas linhas de montagem, e nutrir as idéias que brotam de nossos empresários. Isso vai ser difícil. Mas nos dias por vir, deve ser a nossa missão central como um povo, e a minha responsabilidade como Presidente central.

Parte dessa responsabilidade é ter certeza que nós honramos os nossos compromissos para com aqueles que serviram o nosso país com bravura tal. Enquanto eu for presidente, vamos manter a melhor força de combate que o mundo já conheceu, e faremos o que for necessário para servir os nossos veteranos, assim como eles nos serviram. Este é um dever sagrado. É por isso que já fez um dos maiores aumentos no financiamento para os veteranos, nas últimas décadas. Estamos tratando as feridas assinatura de guerras de hoje – O transtorno de estresse pós-traumático e lesão cerebral traumática – ao fornecer os cuidados de saúde e benefícios que todos os nossos veteranos ganharam. E nós estamos financiando um Post-9/11 GI Bill que ajuda a nossos veteranos e suas famílias perseguir o sonho de uma educação universitária. Assim como o GI Bill ajudou aqueles que lutaram a Segunda Guerra Mundial – incluindo o meu avô – a espinha dorsal da nossa classe média, para militares de hoje e as mulheres devem ter a oportunidade de aplicar seus dons para expandir a economia americana. Como parte de acabar com uma guerra responsável está de pé por aqueles que têm lutado por isso.

—É lindo, também muito comovente as palavras proferidas pelo Sr Barack Obama, senão levarmos em conta toda maracutaia realizada para obter suportes a execução da nefasta, macabra, estúpida agressão ao Iraque.

A invasão do Iraque foi decretada na noite de 29 de março de 2003 por um dos senhores do Apocalipse George W Bush.

Os estados unidos gastaram durante sete anos de genocídio no Iraque a insignificante fortuna de US$ 1 TRILHÃO. Foram feitas cem mil vítimas civis e 4, 400 soldados da força invasores mortos. Uma cultura milenar profanada, destruída e seu patrimônio assaltado, em nome da segurança mundial e interesses dos E.U da América.

É Preciso Nunca Esquecer.

—Mais, muito mais, eternamente-.

Publicado setembro 5, 2010 por heitordacosta em IMPUNIDADE